Resenha – Calafrio

6Z3PSzB

Título: Calafrio

Autora: Maggie Stiefvalter

Série: Os Lobos de Mercy Falls – 01

Editora: Agir Now

nº de pgs: 344

Sinopse: O frio. Grace passou anos observando os lobos no bosque próximo à sua casa. Um deles, um belo lobo de olhos amarelos, a observa também. Ele parece familiar, mas ela não sabe por quê.
O calor. Sam vive duas vidas. Como lobo, ele é um companheiro silencioso da garota que ama. E, por um curto período a cada ano, ele é humano, embora nunca tenha coragem suficiente para falar com Grace… até agora.
O calafrio. Para Grace e Sam, o amor sempre foi mantido a distância. Mas, uma vez revelado, não pode ser negado. Sam precisa lutar para continuar humano, e Grace precisa lutar para ficar ao seu lado — mesmo que isso signifique enfrentar os traumas do passado, a fragilidade do presente e as impossibilidades do futuro.

Maggie Stiefvalter criou uma mitologia interessante sobre os lobisomens, onde a transformação é associada ao frio. Durante o inverno aqueles que foram mordidos se tornam lobos, voltando à forma humana na primavera. Há quanto mais tempo eles foram mordidos, menos frio é necessário para que a transformação ocorra. Sam tem conciência de que este será seu último ano como humano, enquanto Grace não se conforma e está a procura de uma cura.

Os dois se conheceram após Grace, aos 11 anos, ter sido atacada pelos lobos do bosque ao redor de Mercy Falls e Sam resgatá-la. Em vez de ficar com medo, a garota cresceu fascinada por esses animais, principalmente pelo lobo de olhos amarelos que a salvou quando era criança. Grace sabe que existe algo de diferente naqueles lobos, porém não sabe explicar o quê, além de ter conciência de que seria considerada louca se tentasse compartilhar isso com alguém. Assim, após um garoto da cidade ser morto pelos lobos e os cidadãos decidirem sair em uma caçada para matar os animais, Grace corre ao bosque, desesperada, para salvar seu lobo de olhos amarelos, porém ela encontra um garoto baleado e nu chamado Sam e o reconhece como seu lobo. A partir de então os dois se apaixonam apesar da aproximação do inverno.

 O livro é narrado alternadamente pelos pontos de vista dos dois protagonistas, acredito até que Sam tenha uma participação maior. Ele é romântico e tenta ser sempre responsável, enquanto Gracie é analítica e determinada. Os dois são quase opostos um do outro, mas se amam intensamente. O romance foi para mim o ponto mais fraco da história. Dá até para comprar a ideia da forte ligação entre eles enquanto ele era lobo, porém teria gostado mais se a autora explorasse o nascimento do amor deles a partir do momento em que Sam aparece como humano. Foi tudo muito rápido, é como se eles já estivessem decididos a se apaixonarem apesar de não se conhecerem de verdade.

Além disso, o relacionamento tomou boa parte da trama. Enquanto eu ficava esperando a história ao redor da alcatéia e as consequências do ataque ao garoto da cidade se desenvolverem, só tínhamos cenas e mais cenas do dia a dia de Sam e Grace. Foi tudo em um ritmo muito lento, estávamos em espera pelo inverno assim como o casal.

Apesar do romance ter me incomodado, como protagonistas Sam e Grace são muito bons. Ele foge do esteriótipo de bad boy atormentado (ele é atormentado, mas é bom moço xp) e se preocupa em resolver os problemas do bando e em proteger Gracie a qualquer custo. Ela é bem difrente da maioria das protagonistas de Young Adults. A garota não perde tempo e quando decide o que quer vai atrás de um jeito ou de outro. É ela quem faz o relacionamento dos dois andar. É bem engraçado vê-la tentando seduzi-lo, enquanto Sam se preocupa com tudo.

Os coadjuvantes também são bem interessantes. Beck é o líder da matilha e ele e as cenas dele com os outros lobisomens me deixaram com vontade de passar mais tempo conhecendo o bando e seus integrantes. Olívia é amiga de Gracie e tem uma obcessão quase tão grande sobre os lobos do bosque e acaba tropeçando em algo que modifica toda suas vida. Rachel é a típica patricinha mimada, mas que vai ganhando espaço com o decorrer do livro e terminu se tornando a minha personagem preferida. Ela foi uma mistura de alívio cômico e ombro amigo e me deixou ansiosa pelo segundo livro, pois sei que ela e Cole (ele ainda não apareceu) são o casal favorito dos fãs da série.

Foi um livro lento, mas gostoso de ler. Não superei seus problemas, mas fiquei ansiosa pela continuação, em parte pelo que já ouvi falar sobre a série e em parte pelas tramas de Calafrio não terem sido plenamente fechadas. Foi um livro mediano, mas que espero que seja apenas o começo de algo muito bom

“- Você é bonito e triste – falei afinal, sem olhar para ele. – Assim como seus olhos. Você é como uma canção que ouvi quando era criança, mas esqueci até que a ouvi de novo. ” (pag. 181)

P_20160610_181436_20160610190703875

Nota: 3/5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s