Resenha| Mistborn – O Herói das Eras

mistborn

Título: Mistborn – O Herói das Eras

Autor: Brandon Sanderson

Série: Nascidos das Brumas 03

Editora: Leya Fantasia

nº de pgs: 688

Sinopse: O capítulo final da trilogia Mistborn, de Brandon Sanderson. Após subverter a lógica dos livros de fantasia tradicional e arrebatar uma quantidade incrível de admiradores, entre eles George R. R. Martin em pessoa, Brandon Sanderson encerra a trilogia fantástica Mistborn de forma no mínimo surpreendente. Para acabar com o Império Final e restaurar a liberdade, Vin matou Senhor Soberano, mas, em consequência, poderosos terremotos causaram o retorno das trevas, e a humanidade parece estar definitivamente condenada. Resta saber como Vin poderá se livrar da culpa e reverter este cenário. A conclusão da série promete não decepcionar os leitores dos dois primeiros volumes, já que está repleta de revelações e reviravoltas, dignas dos leitores mais exigentes.

Adivinhem qual livro foi tão fantástico que me fez ter vontade de voltar a postar resenhas no blog?

~Aviso de Spoilers dos livros anteriores~

Mistborn – O Herói das Eras é o último livro da trilogia Nascidos das Brumas que nos apresenta o Império Final, um território onde as brumas vêm com a noite e as cinzas caem sem parar. No fim do livro anterior, Vin toma o poder do Poço da Ascensão, mas o liberta na esperança de estar fazendo a coisa certa. Na mesma hora ficamos sabendo que isso foi um erro e ela libera no mundo Ruína, uma força que só tem um objetivo: levar o fim a todas as coisas.

O livro começa um ano depois desses eventos e achei isso muito bom. Logo temos  um panorama da situação do império com todas as dificuldades causadas por Ruína, assim como Vin e Elend estabelecidos enquanto imperadores e Elend como um nascido das brumas. Então a história não vai se deter em um novo treinamento ou em como chegamos ao fim do mundo. Nós já estamos nele.

Herói das Eras conta com vários pontos de vista, de forma a termos uma visão ampla do reino, assim como para podermos ligar todos os pontos da história. Porque acreditem, tudo se encaixa. Sanderson criou um universo com várias camadas, onde as respostas estavam lá desde o início, mas nós não procuramos. É fantástica a forma como ele fecha pontas soltas que sequer notamos que estavam lá. Mas apesar dos acontecimentos grandiosas, das batalhas épicas e da complexidade do sistema de magia, o melhor dessa série são seus personagens.

Depois de passar o segundo livro quase todo se questionando sobre seu papel na nova era, Vin aparece nesse completamente decidida e confortável sobre quem é. Gente, que amor por essa menina! Quando ela comenta que já fazem cinco anos desde que foi retrucada pelo bando de Kelsier tomei um susto, pois por mais que ela tenha crescido sempre penso nela como aquela menina desconfiada que ficava de lado se fazendo de durona, mas que no fundo ama vestidos e bailes. Como seu outro lado da moeda, temos Elend que desde o livro anterior se tornou um verdadeiro protagonista e meu personagem favorito. Ele agora, além de imperador, é o comandante de exércitos e tenta impedir que este poder anule o homem bom que ele foi. Elend luta para não se tornar um novo Senhor Soberano, mesmo quando faz atrocidades. É fantástico acompanhar o amadurecimento desse menino que ia a bailes ler só para mostrar que não se importava.

Mas nem só de conflitos internos vivem os protagonistas, agora ambos são Nascidos das Brumas extremamente poderosos e imperadores determinados a salvar o mundo da destruição, então eles contam sim com batalhas incríveis e cenas badass para mostrar quem está no poder.

“Vin o olhou nos olhos e eles voltaram a dançar. Não falaram nada, simplesmente deixaram a maravilha do momento embalá-los. Era uma experiência surreal para Vin. Tinham um exército lá fora, as cinzas caíam sem descanso e as brumas tiravam vidas. Ainda assim, dentro daquele salão de mármore branco e cores reluzentes, ela dançava com o homem que amava pela primeira vez na vida.” 

282 p.

Sazed e TenSoon também tem uma participação muito forte, aliás, é Sazed quem junta todos os pontos e faz tudo se encaixar. Mas os capítulos dele são um tanto melancólicos devido ao luto que ele ainda vive pelo que aconteceu no livro anterior. Apesar de eu gostar muito de TenSoon, achei as partes do Kandra onde mostram a sua cultura etc muito extensas. Dava para ter resumido de modo mais rápido o papel que esse povo desempenharia no final. Mas o grande destaque do livro é Fantasma!

Assim que começou o primeiro capítulo dele levei um susto. Eu sequer lembrava que o menino, agora um homem feito, era um brumoso. Ele sempre queimou estanho? Sério? hahaha Esse meu susto casou perfeitamente com os pensamentos do rapaz que nunca se sentiu verdadeiramente parte do bando e nesse livro está determinado a se provar como um líder. Acabei me apaixonando pelo personagem e sua trajetória. 

“O mundo estava morrendo. eus deuses precisavam morrer com ele.”

465 p.

Em resumo foi um livro maravilhoso, superior ao segundo, mas que não atingiu o amor que tenho pelo primeiro. Ele foi um pouco mais extenso do que achei necessário, mas seu final foi tão encaixado, com tudo sendo fechado de maneira perfeita e condizente com toda a história que com certeza se releva qualquer defeito. Sei que os personagens dessa obra serão inesquecíveis para mim. Meu coração está apertado de novo só por escrever essa resenha, então de uma coisa tenho certeza: se você é fã dessa série, não irá se decepcionar.

Nota:4,5/5

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha| Mistborn – O Herói das Eras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s