Resenha| Em Algum Lugar nas Estrelas

capa-algum-lugar-nas-estrelas-darksidebooks

Título: Em Algum Lugar nas Estrelas

Autora: Clare Vanderpool

Editora: DarkSide

Livro único

nº de pgs: 288

Sinopse: EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai… bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine. O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden.

Obsessivo, Early Auden tem regras específicas sobre que músicas deve ouvir em cada dia da semana: Louis Armstrong às segundas; Sinatra às quartas; Glenn Miller às sextas; Mozart aos domingos e Billie Holiday sempre que estiver chovendo. Seu comportamento é um dos muitos indícios da síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo que só seria descoberta muito tempo depois da Segunda Guerra, e que inspirou personagens já clássicos como o Sr. Spock (Star Trek), o Dr. House e Sheldon Cooper (The Big Bang Theory).

Quando chegam as festas de fim de ano, a escola fica vazia. Todos os alunos voltam paracasa, para celebrar com suas famílias. Todos, menos Jack e Early. Os dois aproveitam a solidão involuntária e partem em uma jornada ao encontro do lendário Urso Apalache. Nessa grande aventura, vão encontrar piratas, seres fantásticos e até, quem sabe, uma maneira de trazer os mortos de volta ainda que talvez do que Jack mais precise seja aprender a deixá-los em paz.

EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é uma daquelas grandes histórias que permanecem com você por muito tempo, perfeita para ler entre amigos ou passar de pai para filho. Tudo que é real pode ser uma grande fantasia ou uma coincidência inevitável. Somos muito mais que um simples desejo do acaso. Nossos caminhos vão se cruzar no primeiro semestre de 2016 nesta obra premiada com o Printz Honow Award em 2016, indicada a outra dezena de prêmios e eleita o livro do ano em dezenas de listas preparadas pelos leitores.

Esse livro é uma fofura, mas de verdade, fiquei surpresa por ele ser querido por tanta gente.

Não falo isso por ter achado o livro ruim, pelo contrário, gostei bastante. Porém, Em Algum Lugar nas Estrelas é uma história introspectiva, até melancólica em alguns momentos, por isso fiquei surpresa por ele ter agradado tantas pessoas. Não me parece o tipo de leitura que atrai o grande público.

Conhecemos Jack no momento em que ele chega no novo colégio interno onde seu pai, que é um comandante da marinha, decidiu colocá-lo após a morte da mãe do menino. O pai de Jack partiu para a guerra quando ele tinha nove anos e agora que o garoto está com treze, os dois são praticamente estranhos.

Apesar das dificuldades de adaptação, Jack está indo até bem no novo colégio e ele começa uma amizade com “o garoto mais estranho” do lugar. Early tem características que o colocam dentro do espectro autista, porém como na época em que o livro se passa o autismo era praticamente desconhecido da maior parte das pessoas, Early era visto apenas como esquisito. O garoto é obcecado pelo número Pi e decidiu que ele está desaparecido, por isso cabe a ele encontrá-lo. Claro que essa busca por Pi tem um significado e um porquê muito maior que vamos entendendo ao longo da trama.

“Embora não houvesse estrelas para me guiar, nem marcos para determinar um curso, nem mesmo a voz da minha mãe para me confortar, eu ainda tinha alguns parâmetros de localização. Havia coisas que eu sabia serem verdadeiras.

Chovia, por isso eu sabia que o disco de Billie Holiday estava rodando na vitrola. Sabia que a oficina de Early era quente e convidativa. Sabia que tinha sanduíches de pasta de amendoim prontos. E sabia que Early estava lá. Eu não estava sozinho.”

96 p.

A primeira metade do livro se dedica a nos fazer conhecer e simpatizar com Jack, porém a partir do momento em que ele e Early partem na jornada ele se torna mais um narrador dos acontecimentos e tem o papel de duvidar de tudo que Early acredita. Resumindo, ele foi um tanto chatinho. Early, por outro lado é muito fofo, com sua confiança inabalável no que acredita. Ele também é o responsável por trazer um certo humor e leveza para a leitura.

O que mais gostei nesse livro é a forma como as histórias das pessoas que os garotos encontram durante a jornada se entrelaçam umas com as outras e com as histórias dos próprios garotos, tornando toda a trama um círculo com seus pontos sendo totalmente fechados. 

Em Algum Lugar nas Estrelas é um livro sobre amizade, perda, luto e superação, mas contado de uma maneira leve e repleta de metáforas. Ainda assim, ele não se tornou um dos meus livros favoritos da vida como a sinopse promete. É lindo sim, e gostei muito, mas a história não mexeu tanto comigo. Mas claro que recomendo para aqueles que gostam de livros sobre amadurecimento. 

Nota: 3,5/5

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s