Resenha| A Melodia Feroz

1625e6988432f34b937022c456b94ab2

Título: A Melodia Feroz

Autora: V.E. Schwab

Editora: Seguinte

Série: Monstros da Violência – 01

nº de pgs: 368

Sinopse: Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.

Distopia? Fantasia Urbana? Jovem Adulto? Eu não sei bem como classificar esse livro, eu só sei que gostei demais!

A premissa desse livro sempre me interessou: um mundo onde a violência humana começou a ganhar corpo na forma de monstros. Os Corsais que só saem à noite, têm uma forma meio incorpórea de fumaça e são gerados de violência que não acaba em morte; os Malchais com dentes de tubarão gerados a partir de um assassinato e os Sunai que têm uma aparência inteiramente humana, são gerados a partir de grandes massacres e só conseguem matar criminosos.

Depois da catástrofe que levou à criação dos monstros, a Cidade V foi dividida em dois territórios. O Norte, comandado por Harker que domina os monstros e onde as pessoas devem pagar por sua segurança e o Sul, dominado por Flynn e sua equipe que continuam a combater e eliminar os monstros.

Monstros grandes e pequenos, cadê?

Eles virão para comer você.

Corsais, corsais, dentes e garras,

sombras e ossos abrirão as bocarras.

Malchais, malchais, cadavéricos e sagazes,

bebem seu sangue com mordidas vorazes.

Sunais, sunais, olhos de carvão,

com uma melodia sua alma sugarão.

Monstros grandes e pequenos, cadê?

Eles virão para comer você!

49 p.

No meio de tudo isso, Kate, filha de Harker deseja provar para o pai que consegue ser fria e cruel como ele, digna de liderar o território Norte algum dia. Já August é contra toda a violência, sendo criado como filho de Flynn, ele quer defender a trégua a qualquer custo e evitar que a cidade entre em guerra novamente. O problema é que August é um Sunai, teoricamente um dos monstros.

É uma trama um tanto complexa, tanto que as 50 ou 60 primeiras páginas do livro se dedicam a nos apresentar esses personagens e todo o mundo em que eles vivem. Demora um pouco até que entendamos a dinâmica da mitologia que Schwab criou, mas é divertido tentar juntar os pedaços de informação e ir construindo esse mundo. Além disso, a escrita é muito boa e conseguiu me prender desde o começo. Fiquei com ainda mais vontade de conhecer as outras obras da autora.

Os personagens são o carro chefe desse livro, muito bem construídos e bastante complexos. Kate tem toda uma pose de malvada ao tentar se provar para o pai e não tem como não criar uma empatia com a menina. Fica óbvio que ela não é uma má pessoa e dá pena ao ver o quanto ela se esforça para tentar se passar por uma. Já August é a criatura mais fofa desse livro! Ele é um monstro, gerado a partir de um massacre e é ensinado a punir os criminosos, mas não consegue sequer deixar um gatinho abandonado para trás. A grande questão de August é querer negar sua natureza, pois seu maior desejo é ser humano, mas se negar, assim como acontece com Kate, não é a melhor alternativa.

A Melodia Feroz puxa mais para a distopia do que para qualquer outro gênero e me surpreendeu eu ter gostado tanto, porque geralmente não curto distopias. Aliás, esse é um livro com vários elementos que não curto, mas acabei adorando. Geralmente não gosto de distopias, mas adorei o mundo e a sociedade que a autora criou. Geralmente não gosto de conflitos internos de personagens de forma repetitiva, mas aqui ficou muito fluido sem soar irritante ou forçado. Geralmente gosto de um pouco de romance, mas nesse livro não temos. Sim, pelo menos nesse primeiro os protagonistas não têm nenhum envolvimento romântico e não só não fez falta, como teria ficado fora de tom na narrativa.

Isso porque A Melodia Feroz tem um clima bem sombrio, sem alívios cômicos ou romance. Mesmo que parte do livro se passe em um colégio, não esquecemos em nenhum momento dos problemas dos personagens e da violência que habita o mundo em que vivem.

Depois dessa resenha gigante ficou óbvio que foi uma leitura surpreendente e que adorei. A série só conta com mais um livro que já foi lançada nos EUA e acredito que em breve sai aqui no Brasil. E olha, depois do fim desse livro fiquei super curiosa para saber que rumos essa história vai tomar.

Nota: 5/5

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s