Resenha Dupla – A Queda de Atlântida

efeito

Título: A Queda de Atlântida – Teia de Luz e Teia de Trevas

Autora: Marion Zimmer Bradley

Editora: Círculo do Livro

Série: O Ciclo de Avalon – vol 01 e vol. 02

Sinopse: A história de duas irmãs, Deoria e Domaris, filhas de Sumo Sacerdote Talkannon, dos seus amores, dos seus ódios, dos seus prazeres e sofrimentos e da forma como, tendo escolhido caminhos diferentes, por vezes opostos, vivem os seus dias e desempenham um papel fulcral na batalha que, apesar de invisível, se trava dia e noite pelo futuro do Mundo. Mas mais importante que qualquer destino ou karma, o que está em jogo é o futuro do próprio Mundo, pois da batalha mortal que se trava entre as Trevas e a Luz e do seu desenlace poderá resultar a queda da própria Atlântida.

Iniciando a primeira parte para a jornada a caminho das terras de Avalon.

Continuar lendo

Resenha – Ricardo III

ClássicosricardoIII_alta

Título: Ricardo III

Autor: William Shakespeare

Editora: L&PM

nº de pgs: 192

Sinopse: Ricardo III é uma das peças históricas de William Shakespeare e narra um pedaço da história da Inglaterra. Encenada pela primeira vez entre 1592 e 1593, com enorme sucesso, se passa no final da Guerra das Rosas (1455-1485), conflito sucessório pelo trono da Inglaterra ocorrido entre 1455 e 1485 que coloca em choque político os dois ramos da dinastia Planta­geneta: a Casa Real de York e a Casa Real de Lan­caster.

A peça oferece uma visão rica dos bastidores políticos no que se refere à imoralidade e à ambição desmesurada para chegar ao poder. Ricardo, Duque de Gloucester – que de fato governou a Inglaterra de 1483 a 1485 –, não sente remorso algum ao eliminar seus adversários, tramando complôs, traindo familiares e casando-se por interesse com o único fim de chegar ao trono.

Shakespeare retratou Ricardo III exagerando-lhe as características físicas de feiúra e sua maldade pessoal, criando um vilão fascinante aos olhos do leitor. Além disso, os diálogos elaborados pelo autor no fim do século XVI chegam ao século XXI, por meio desta tradução, em toda a sua força, carregados de maldades, ressentimentos e ódios à flor da pele, legítimos duelos verbais.

“Modo incerto de ganhar! Mas estou de tal guisa imerso em sangue que pecado causará novo pecado. A chorosa piedade não tem morada nestes olhos incertos.” (Ricardo III, Ato IV, cena II.)

Em Ricardo III, Shakespeare retrata o fim da Guerra das Rosas (conflito entre as Casas de York e Lancaster pelo trono inglês), assim como a ascensão e a queda do último dos reis Plantageneta, criando um vilão sem pudores, sem culpa, mas com um estranho apelo ao público. 

Continuar lendo

Resenha – Poirot Investiga

7460952gg

Título: Poirot Investiga

Autora: Agatha Christie

Editora: BestBolso

nº de pgs: 238

Sinopse: 14 incríveis contos em que Hercule Poirot brilha como grande detetive. O conto não é o gênero em que Agatha Christie usou o melhor de sua imaginação criminosa. Em compensação, foi nas narrativas curtas que a Dama do Crime demonstrou um insuspeitado talento literário, escrevendo em um estilo mais elaborado e límpido, como o leitor poderá conferir nessa coletânea

Esse é o quarto livro pulicado da Agata Christie e consequentemente o quarto livro do projeto #AgathaChristienoBA. Não deu para ler o romance do mês passado, mas voltamos nesse com o detetive belga, Hercule Poirot e seu amigo Hastings em um livro de contos dos mais variados estilos, mas que por ironia difere do estilo que é marca registrada da autora. 

Continuar lendo

Resenha – A Árvore da Mentira

CAPA-A-Árvore-da-Mentira

Título: A Árvore da Mentira

Autora: Fraces Hardinge

Editora: Novo Século

Livro Único

nº de pgs: 304

Sinopse: Na inóspita ilha inglesa de Vane, em pleno século XIX, os Sunderlys desembarcam, atraindo atenções e suspeitas. Quando o reverendo Erasmus, patriarca da família e proeminente estudioso de ciências naturais, é encontrado morto em circunstâncias obscuras, sua filha, a jovem e impetuosa Faith, está determinada a desvendar o mistério. Para isso, precisará de coragem não apenas para confrontar dolorosos segredos mas também para desafiar as implacáveis tradições da sociedade em que vive. Investigando os pertences do pai em busca de pistas, ela descobre uma planta estranha. Uma árvore que se alimenta de mentiras sussurradas e dá frutos que revelam verdades ocultas. Quando a espiral das sedutoras mentiras de Faith fica fora de controle, ela compreende que as verdades estilhaçam muito mais. Combinação de horror, romance policial e realismo fantástico, esta arrepiante história da premiada escritora britânica Frances Hardinge, autora de “Canção do Cuco”, promete arrebatá-lo do começo ao fim.

É muito mais difícil falar sobre um livro que você gostou de mais do que de um que não gostou, certo? E é justamente esse o caso. A Árvore da Mentira foi uma das melhores leituras do ano e passei um bom tempo pensando em como mostrar porque esse livro foi tão bom. Não sei se consegui, mas vamos lá!

Continuar lendo

Leituras de Julho + Balanço da Maratona Literária de Inverno 2016.

pixlr.jpg

E não é que eu consegui ler bastante e cumprir as categorias da maratona?

O Rei do Inverno: livro da categoria encalhado há mais de um ano na estante. Pois é, o livro tava lá parado, mas fui super na expectativa, porque nunca tinha lido Bernard Cornewl e era livro histórico e era sobre o rei Arthur! Como dar errado? Pois é. Deu. Achei a leitura meio entediante.

Não Pare!livro da categoria hype. É um Young Adult com uma mitologia completamente diferente e um ritmo frenético. Foi uma leitura viciante.

Uma Noite para se Entregar: adoro romances de época e recentemente conheci a autora Tessa Dare e quero ler tudo dela! Esse é o primeiro livro da série Spindle Cove. É divertidíssimo e com protagonistas apaixonantes.

Vocação para o Mal: o terceiro livro da série do detetive Cormoran Strike o melhor até agora. Sério, cadê o próximo? Um dos melhores do mês.

A Maldição do Vencedor: Livro da categoria Outros Mundos. Não costumo gostar se distopias, então foi uma surpresa eu ter adorado esse livro, super viciante.

Tito Andrônico: a peça do mês para o projeto #AgoraVaiShakespeare. Foi bem ruim, tanto que não tive vontade de fazer resenha. Mas já esperava, pois essa é a.peça menos querida do Bardo.

Coração?: os livros da série o Protetorado da Sombrinha são sempre divertidos e esse com certeza foi um dos melhores. – A resenha sai em breve.

A Árvore da Mentira: esse livro cumpriu a última categoria que era diversidade, conhecer outras culturas. A trama se passa na Inglaterra vitoriana e a autora nos transmite muito bem a condição feminina da época, quando a mulher era praticamente invisível. Uma mistura de romance histórico, thriller de investigação e realismo fantástico. – A resenha sai em breve.